Tecnologias abrem todas as portas do Pão de Açúcar ao consumidor

Fonte: DCI Diário Comércio Indústria & Serviços.
FELLIPE AQUINO • Publicado em 11/09/14 às 00:00

Algumas unidades da companhia já contam com o Personal Shop, que permite comprar usando um coletor de dados, além do sistema Retirada em loja e Drive Thru para vendas feitas on-line

São Paulo – Plataformas digitais, canais móveis e até drive thru. Vale tudo para chegar até o consumidor na maior rede varejista do País. O Grupo Pão de Açúcar (GPA) tem analisado todo tipo de formatos de lojas high tech, com opção de retirada de compras express e até um supermercado digital. Com objetivo de simplificar a vida do consumidor, a empresa aposta nas tecnologias que podem garantir maior praticidade no ponto de venda.

É o caso do serviço Personal Shop, um sistema que permite a compra através de um coletor de dados. Dessa forma, o consumidor fica livre de retirar os produtos das prateleiras e carregar no carrinho, já que basta apontar o aparelho para o código de barras que ele registra o produto.

“Esse foi apenas um teste para ver o quanto o cliente estaria disposto a simplificar a sua rotina”, ressaltou ao DCI, o diretor de estratégia do Grupo Pão de Açúcar, Edson Kawabata.

Implantado na loja do Shopping Iguatemi, em São Paulo, o projeto já foi expandido para mais três unidades do Pão de Açúcar, como Granja Viana, Tamboré e Panamby. Segundo o executivo, a grande vantagem do sistema é o self check, que permite ao consumidor realizar o pagamento das compras no terminal do sistema, sem precisar passar pelas filas do caixa, sendo uma operação semiautomatizada.

Mercados maduros

“Acredito que esse pagamento rápido deva ser expandido para todas as unidades da rede, seguindo a tendência de supermercados em mercados mais maduros como os da Europa e dos Estados Unidos”, diz o executivo. De acordo com Kawabata, o Personal Shop é útil para pequenas compras, já que as pessoas não têm mais o hábito de fazer a compra do mês, como no passado. Após o pagamento, o cliente pode optar por receber os produtos em casa ou retirar no supermercado. Segundo ele, a última opção demanda mais tempo, até que o carrinho seja carregado por um funcionário.

Questionado sobre uma possível expansão do sistema para todas as lojas do Pão de Açúcar, ele ressalta que a plataforma já foi superada pelos smartphones, hoje principal aposta da companhia.

“Estamos estudando uma ferramenta com a qual o cliente poderá utilizar o próprio celular como um leitor de códigos de barras. Nele, todas as informações dos produtos estarão disponíveis para o consumidor”, destacou Kawabata.

Drive thru

Outra aposta do grupo é o Retire em Loja, atualmente disponível em algumas unidades do hipermercado Extra. O serviço permite que o cliente realize suas compras através do Extra Delivery – site de alimentos e bebidas on-line – e posteriormente retire os produtos em um espaço exclusivo da rede. “Assim que o cliente chega, ele abre o porta-malas e um funcionário coloca todos os produtos no carro, sem que ele precise entrar na loja”. O serviço está disponível para as categorias de eletrônicos, produtos leves e alimentos. Esta última só possui retirada expressa na unidade Extra do Morumbi, em São Paulo.

De acordo com o diretor de estratégia do GPA, o sucesso foi tanto que o projeto piloto iniciado nas unidades Ricardo Jafet e Anhanguera do Extra, responsável pelos produtos não alimentares, já foi expandido para outras lojas da rede. “O sistema garante um fluxo interessante, já que a pessoa aproveita o deslocamento do trabalho até a residência para retirar todos os produtos desejados”, disse Kawabata.

Com expectativas de ampliar a plataforma para outras capitais como Rio de Janeiro, Salvador e Brasília, a companhia reforça que o projeto possui caráter piloto, já que o brasileiro ainda não está acostumado a comprar alimentos pela internet. “Esse é um segmento que tem crescido na casa dos dois dígitos.”

O sistema também vale para o Pão de Açúcar, que desde o ano passado conta com o serviço drive thru. Primeira marca a criar um e-commerce de alimentos no País – como apontou a GPA -, o sistema funciona da mesma forma que o Retire em Loja, do Extra. Em teste, a marca conta com o serviço em apenas uma unidade localizada na Washington Luis, também na capital paulista.

Plataforma móvel

Segundo o GPA, a companhia está voltada para os canais virtuais e móveis, tanto que os maiores investimentos da rede são direcionados para o setor. “Essa é uma tendência global, se não fizéssemos ficaríamos para trás”. Atualmente, o grupo testa o uso de um catálogo eletrônico, que funciona a partir de tablets disponíveis em alguns supermercados Extra.

Nele, o consumidor consegue consultar os produtos não alimentares, em especial eletrônicos, que podem ser adquiridos através da plataforma. “Funciona como o e-commerce, mas de forma assistida, com um vendedor”. Assim, o cliente fica livre de carregar o produto pela loja, podendo recebe-lo em casa.

Foto:Extra Supermercados inova no modelo de retirada de produtos

FOTO: DIVULGAÇÃO